Internet Banda Larga Popular | Entenda como funciona

Atualizado em 17/11/2021 às 14h36

A internet banda larga popular era um serviço viabilizado pelo governo e oferecido por algumas operadoras com a finalidade de disponibilizar planos de internet popular para as famílias brasileiras.

Os planos de internet tradicionais eram considerados caros pela maioria da população. E para que todos tivessem condições de usar a internet, o governo criou o Plano Nacional de Internet Banda Larga Popular (PNBL).

Ofertas de Internet banda larga

Como o plano do governo não funciona mais, aproveite e confira as principais ofertas de planos de internet com cobertura no CEP da sua rua, com o preço da banda larga popular, aqui no comparador do Melhor Escolha.

De acordo com o IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no Brasil, o número de casas conectadas saltou de 7,2 milhões para 39,3 milhões, um aumento de cerca de 446%.

No entanto, apesar do aumento visível, o acesso no Brasil ainda era considerado muito baixo. Isso porque apenas 57,8% dos domicílios tinham acesso à internet no território nacional.

Este aumento se deve, em grande parte, à ampliação da conexão por meio de celulares e outros dispositivos móveis. Mas, um grande obstáculo era, ainda, o acesso à conexão.

A banda larga popular era um plano de internet alternativo que tinha a função de oferecer um serviço mais barato que os planos convencionais.

A internet popular, ao contrário do que se pensa, não era do governo. Ou seja, não era uma conexão pública. Ela tinha que ser contratada junto às operadoras que aderiram ao Plano Nacional de Banda Larga Popular, o PNBL.

O PNBL surgiu com a intenção de levar conexão para dentro das residências de baixa renda.

No entanto, não era preciso comprovar renda para ter acesso à banda larga popular. 

A ideia era oferecer oportunidade de acesso à internet residencial para todos. No entanto, é importante lembrar que o serviço não era gratuito!

Caso você queira saber como acessar Internet de graça, o Melhor Escolha tem um post que trata exclusivamente do assunto.

O serviço de internet banda larga popular, criado em 2011, oferecia uma conexão com velocidade suficiente para que os seus contratantes pudessem suprir suas necessidades básicas de navegação, como dar uma olhadinha nas redes sociais, conferir o e-mail ou usar aplicativos no smartphone e outros dispositivos móveis.

Para ter acesso à internet popular, você tinha que contratar o serviço diretamente com a operadora.

Além disso, era preciso, também, ter um modem para que a conexão banda larga fosse transmitida via Wi-Fi para seu computador, notebook, smartphone ou tablet.

Por fim, era preciso saber que, para que a banda larga popular funcionasse corretamente, você deveria pagar uma taxa mensal. Isso mesmo! O serviço não era gratuito.

E os valores variavam de acordo com a região ou operadora contratada.

Observação: os planos de internet popular não vinham com modem roteador WiFi. Nesse caso era necessário comprar um desses aparelhos! Aliás, aqui no Melhor Escolha nós temos um conteúdo para que você entenda a diferença entre modem e roteador.

Por se tratar se um serviço de baixo custo, a banda larga popular apresentava algumas limitações.

A primeira delas é que nem todas as operadoras aderiram ao PNBL e, assim, passaram a oferecer o serviço. Além disso, apesar do serviço ter surgido para incentivar o acesso à internet nas cinco regiões do Brasil, nem todo o território nacional tinha acesso à alternativa aos planos convencionais.

Outra limitação era a velocidade da conexão. Os clientes da banda larga popular tinham acesso a opções de velocidade inferiores aos planos convencionais.

Ofertas de Internet banda larga

Aliás, aproveite e veja a pesquisa sobre qual a melhor internet banda larga do Brasil.

A banda larga popular disponibiliza as seguintes opções de velocidade:

  • 1 mega de velocidade;
  • 1,5 megas de velocidade;
  • 2 megas de velocidade.

Para consultar os valores de cada um deles, bastava entrar em contato com a provedora de internet popular.

No entanto, se você ainda quisesse mais velocidade, valia a pena comparar os preços de pacotes tradicionais disponíveis em sua cidade.

Com uma velocidade de 1Mbps, é provável que você não consiga assistir a um vídeo no YouTube e fazer um download de uma música simultaneamente.

Então, era necessário priorizar as tarefas, né?

Agora, precisa de uma velocidade maior para desempenhar suas atividades?

Nós podemos ajudar a comparar todas as opções de internet fibra. Assim, você escolhe um plano que mais combina com sua rotina. 

Quer saber qual a velocidade da sua conexão de internet? Faça o teste!

Essa não é uma escolha fácil, por isso, decidimos deixar aqui algumas dicas:

Internet até 2MB: era indicada para acessar redes sociais, navegar na internet, enviar e receber e-mail, ver vídeos no YouTube na qualidade 480p, jogos simples e que não demandam muita conexão.

Internet entre 3MB e 10MB: era indicada para acessar redes sociais, navegar na internet, enviar e receber e-mail, ver vídeos YouTube na qualidade 1080p, jogos mais complexos, mas que não demandam muita conexão, realizar reuniões online, ver filmes online com qualidade HD.

Planos de Internet entre 15MB e 35MB: era indicada para acessar redes sociais, navegar na internet, enviar e receber e-mail, ver vídeos YouTube em qualidade 4k, jogar jogos mais complexos e que demandam conexão, realizar reuniões online, realizar download e upload com velocidade, ver filmes online com qualidade 4k.

Internet entre 40MB e 60MB: indicada para acessar redes sociais, navegar na internet, enviar e receber e-mail, ver vídeos YouTube em qualidade 4k, jogos mais complexos, que demandam muita conexão, realizar reuniões online em grupo ou individual, realizar download e upload praticamente instantâneo, ver filmes online com qualidade Ultra HD.

Você sabe como está distribuído o acesso à internet em nosso território nacional?

Sabe-se que, em relação à região, o Sudeste tinha o maior número de domicílios conectados à internet, quanto desconectados: eram 17,4 milhões de domicílios conectados e 11,7 milhões, desconectados.

A Região Nordeste tinha 7 milhões de domicílios com internet e 10,5 milhões sem internet; a Região Sul tem 5,4 milhões conectados e 4,9 milhões desconectados; o Centro-Oeste tinha 2,5 milhões com internet e 2,7 milhões sem. A Norte tinha 1,9 milhões de domicílios conectados e 3,1 milhões, desconectados.

Infelizmente quando a internet banda larga popular acabou, os planos ainda não estavam disponíveis em todo o território nacional.

 A cobertura da banda larga popular chegava a cinco mil municípios brasileiros. Isso representava uma cobertura em 90% de todas as cidades do Brasil.

Para descobrir se sua região era atendida pelo serviço, clique aqui.

Conheça 9 Direitos do Consumidor de Internet.

O plano de internet banda larga popular não existe mais. No entanto, o primeiro passo para contratar o plano era escolher uma das operadoras que ofereciam o serviço. São elas:

Oi Internet 

Na Oi internet, a banda larga popular era oferecida na tecnologia fixa (ADSL) ou móvel (3G) dependendo da localidade. Ambas as tecnologias tinham velocidades de até 1Mbps para download.

Vivo Internet

Na Vivo internet, além de pagar um valor bem abaixo do convencional pela banda larga popular, você ganhava um modem de internet Wi-Fi de graça. Mas, em caso de dano ou uso incorreto do equipamento, havia uma cobrança de assistência técnica, no valor de R$50,00.

Além disso, é importante saber que a banda larga Popular da Vivo tinha uma cota de consumo de 10GB por mês. Caso você ultrapasse esse limite, a velocidade era reduzida para 100 kbps.

Sercomtel Internet

A Sercomtel internet, além dos valores reduzidos, também oferecia, no pacote da banda larga popular, utilização simultânea de telefone e internet e conexão 24 horas por dia sem pagamento de pulsos e ou minutos.

NET Internet

A operadora NET internet também oferecia planos de internet popular. Os planos eram de 2 Mega de velocidade e estavam disponíveis apenas para algumas cidades com a cobertura NET.

Os preços da internet banda larga popular variavam de acordo com a região,  do pacote de velocidade selecionado ou da operadora que você escolhesse para contratar o serviço.

Para saber exatamente quais eram os valores da internet popular oferecidos por cada operadora, bastava acessar o site das operadoras oficiais.

Mas, de acordo com o PNBL, os preços dos planos de internet popular sugeridos são:

  • 1 mega de velocidade por R$ 29,80;
  • 1,5 mega de velocidade por R$ 34,90;
  • 2 mega de velocidade por R$ 39,90.

Apesar destes valores serem sugeridos pelo governo, as operadoras tinham liberdade para oferecer pacotes especiais, por isso, era muito importante checar todas as opções.

Não! As operadoras que aderiram ao PNBL não podiam obrigar os seus clientes a comprar outros produtos, caso eles desejassem adquirir somente o plano de internet banda larga popular.

No entanto, as empresas estão autorizadas a oferecer pacotes que incluem planos de telefone fixo.

No caso da Vivo São Paulo, por exemplo, era possível incluir uma lista telefônica no pacote.

A Vivo oferecia duas opções de pacotes que incluia Vivo Fixo + Internet Popular de 2 Mbps:

  • Vivo Internet 2 Mbps, com mensalidade de R$ 39,90 e sem taxa de habilitação
  • Vivo Ilimitado Fixo Local, com mensalidade de R$ 49,90 e taxa de habilitação de 10 x R$ 12,22

Era possível acessar a conexão da banda larga popular pelo celular?

Sim. Além de usar a internet banda larga no computador, era possível aderir à internet móvel popular.

No plano de Internet Móvel para o PNBL, você tinha uma franquia de 300MB e podia se conectar de qualquer lugar, no seu computador, notebook ou tablet.

Na Oi, por exemplo, você ainda tinha outra vantagem.

Ao aderir ao plano internet banda larga popular, você tinha acesso ilimitado à rede Oi WiFi Fon com mais de 2 milhões de pontos de acessos no Brasil e ainda economizava sua franquia de dados.

Como está o acesso da internet via smartphones no Brasil?

A pesquisa TIC Domicílios em 2019 mostrou que o telefone celular é o dispositivo utilizado para o acesso individual da internet pela maioria dos usuários: seguido pelo computador de mesa , computador portátil ou notebook, tablet, televisão, e videogame.

De acordo com o levantamento, 58% da população brasileira usou a internet no telefone celular nos três meses antes da pesquisa. A proporção era de 47% em 2014, e de 31% em 2013.

O tipo de conexão mais utilizada nos celulares passou a ser o Wi-Fi, seguido pelo 3G ou 4G. 

Claro! Assim como qualquer outro serviço oferecido pelas operadoras, era possível cancelar seu plano de internet popular.

Os planos de Internet Popular eram proibidos de terem contrato de fidelidade.

Se você optasse pela Vivo, por exemplo, vale lembrar que a taxa de habilitação, no valor de R$150,00, não era cobrada no ato de adesão.

No entanto, caso o cliente cancelasse a internet popular antes de 12 meses, era cobrado o valor integral da taxa na última fatura.

Para cancelar o serviço, bastava entrar em contato com sua operadora.

Caso você tenha enfrentado alguma dificuldade no momento de cancelamento, ou seja, fosse cobrada alguma taxa indevida, você poderia fazer uma reclamação na Anatel pelo telefone ou por meio do app da Anatel.

Gostou de conhecer o serviço de internet popular?

Qualquer dúvida ou sugestão, deixe nos comentários, pois responderemos o mais breve possível. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *