Montar Rede Wi-Fi de alta velocidade | Faça você mesmo!

Guia para montar uma Rede Wi-Fi de alta velocidade – Faça você mesmo!

Quer saber como montar uma rede Wi-Fi de alta performance para sua casa? Então você encontrou o post certo!

Passamos o dia todo conectados, seja enquanto estamos na rua, no trabalho ou em casa. Mas é quando estamos a casa, que a tecnologia parece fazer a maior diferença.

A tecnologia Wi-Fi evoluiu muito nos últimos anos e com isso a capacidade de melhorarmos a transmissão do sinal dentro de casa também.

Se você mora em uma casa grande e precisa de alta performance de WIFI em todos os pontos, este é o post certo pra você.

Convidamos um especialista em Tecnologia para te ajudar a montar uma rede Wi-Fi de alta velocidade você mesmo!

Em apenas 5 passos você irá montar uma rede WIFI que atenda a toda a sua casa ou pequeno negócio!

Confira!

Lembre-se que você também vai precisar de um plano de internet de alta velocidade! Aproveite e visite nosso comparador de planos de internet para conhecer as opções de operadoras e ofertas disponíveis em sua cidade!

 

 

Guia prático para montar uma rede WI-FI de alta performance, segundo especialista

Esse guia irá te ajudar a montar uma rede Wi-Fi de alta velocidade para sua casa (doméstica) ou para o seu escritório de pequeno porte (empresarial).

Nota aos gamers: sim, isso vai te deixar satisfeito!

Antes de tomar seu tempo, adianto que o investimento em equipamentos é razoavelmente alto, mas ainda sim bem menor que equipamento profissional.

Nos dias de hoje temos muito dispositivos que precisamos conectar: smart TV, Apple TV, Chromecast, Celulares, Computador, Notebook, Impressora, Apple Watch, entre tantos outros. E a tendência é só aumentar com a Internet das Coisas (do termo inglês IOT – Internet of Things). Sem falar quando recebemos visitas, que aumenta muito o número de dispositivos conectados.

A solução é uma rede bem planejada.

 

Roteador de alto alcance: VERDADE ou MITO?

Vamos começar desmistificando a ideia de roteadores nos quais o sinal chega longe pra caramba.

Descarte essa opção!

Dispositivos que usam Wi-Fi funcionam com envio e recebimento de dados, logo em um roteador de longo alcance, o seu celular pode até receber os dados, mas é necessário que a antena do celular também tenha potência para alcançar o seu roteador, mas a antena dos celulares não são tão potentes quanto a do roteador de longo alcance, logo ele não vai conseguir enviar dados de volta para o roteador, o que resulta em uma conexão deficiente mesmo com o sinal da wifi aparecendo “cheio” no seu aparelho.

 

O que fazer então?

Não tem milagre, se o espaço a ser coberto é grande ou com muitas barreiras (paredes, por exemplo), é preciso montar uma rede onde o sinal é replicado, ou seja, tenha alguns pontos de conexão distribuídos pela casa ou escritório.

 

Roteador Google WIFI

A rede proposta irá utilizar o roteador Google WIFI, que tem a tecnologia MESH.

O segredo dessa tecnologia, em poucas palavras, é que ela calcula as possibilidades e escolhe caminho mais rápido de comunicação (ou seja, o protocolo de roteamento).

Como a tecnologia é nova, a maior barreira ainda é o alto custo.

 

3 unidades do Google WIFI

preço: USD 249,99 em 12/Nov/2018 (amazon.com)

cobertura: ~440 m2

 

Existem muitas alternativas, porém o preço não diminui muito e em alguns casos até aumenta. Pelos testes encontrados, a qualidade é muito boa as vezes até melhor:

·       TP-Link Deco

·       Eero Home Router (+ 2 eero Beacon)

·       Linksys Velop AC2200 Tri-band – opção da Apple

·       Netgear Orbi AC3000 (+ 2 Wall-Plug Satellite Extenders)

 

 

Benefícios do modelo sugerido

A opção por um roteador Google WIFI é porque eles resolvem a maioria dos problemas de uma rede WIFI, além de ser encontrado facilmente, estar entre em os roteadores MESH de menor custo e ter um belo design.

 

Benefício 1: Sem conflito de sinal (frequência / canal)

Redes wifi se comunicam por ondas de rádio (na frequência de 2.4 GHz e/ou 5 GHz) e cada canal adiciona uma variação de 20 MHz que ainda assim se sobrepõem; é muito comum que a WIFI do vizinho ou o seu equipamento repetidor esteja utilizando um canal que conflite com o seu (grande sobreposição) e isso causa uma interferência tremenda (mais detalhes aqui).

A tecnologia MESH resolve isso automaticamente detectando as outras redes e escolhendo o melhor caminho para evitar conflitos.

 

Benefício 2: Suporte a muitas conexões simultâneas

Um problema frequente dos roteadores é a quantidade de dispositivos conectados que eles suportam, difícil de diagnosticar, mas geralmente o segundo problema mais enfrentado.

O Google WIFI suporta muitos dispositivos, em um artigo apontou que até 56 dispositivos por equipamento podem ser conectados sem impacto.

 

Problema 3: Segurança

A Google é uma das empresas mais preocupadas com segurança e essas configurações já vem por padrão (assim como as atualizações frequentes).

 

Problema 4: Rede para convidados (rede guest) e outras configurações

Com poucos cliques, o Google WIFI permite que se configure uma rede WIFI para convidados – a rede guest.

O Google WIFI ainda fornece relatórios de uso, monitoramento de cada dispositivo, dos pontos e da Internet, alertas, nível de luz de cada roteador (ideal para quem não consegue dormir com luz no quarto), bloqueio por dispositivo, configuração de uma rede para os filhos (família), com bloqueio de conteúdo adulto e horário restrito para uso, o que facilita colocar a criançada para dormir.

 

Pontos negativos do Google WIFI

Para usuários mais avançados, o Google WIFI pode deixar a desejar, ele (ainda) não permite que se configure uma rede oculta (sem propagar o SSID) e nem mesmo que se configure inúmeras redes (além das 3: principal, convidado e família), entre outras necessidades de usuários avançados.

Mas quem sabe em breve não vem uma atualização do aplicativo com essas funcionalidades?

Agora vamos ao que interessa!

 

Montando uma rede WI-FI da alta performance em 5 passos

No exemplo abaixo utilizamos muitos equipamentos apenas para ilustrar as diversas possibilidades e permitir que você solucione qualquer problema encontrado utilizando parte desse exemplo e compondo da maneira que melhor lhe for adequado.

Foram utilizados:

  • 1 modem (fornecido pela operadora)
  • 5 roteadores Google WIFI
  • 2 switches D-Link 5 portas Gigabit Unmanaged Metal (DGS-105)
  • Cabeamento CAT6

 

Passo 1: modem da operadora

O modem fornecido pela operadora muitas vezes também serve como roteador WIFI. O conselho deste artigo é que você entre nas configurações do aparelho e desabilite essa funcionalidade (com uma busca no google.com é fácil encontrar instruções).

Um tanto óbvio mas não custa mencionar que não tem milagre, é preciso ter um ótimo link de Internet para conseguir ter uma ótima Internet na sua WIFI.

 

Passo 2: ponto principal do Google WIFI

A instalação do Google WIFI é bastante simples, após instalar o app Google WIFI no celular, basta seguir o passo a passo que instrui desde o momento de conectar o equipamento na energia, passando por escanear o QR code existente na parte inferior do equipamento, atualização, teste de conectividade e tudo mais.

Ponto principal: As instruções do Google WIFI pedem que o roteador principal seja o primeiro e que seja conectado direto ao modem com um cabo, cabo este fornecido pela Google que acompanha o equipamento.

 

Passo 3: demais pontos do Google WIFI

Após instalar o equipamento principal, basta seguir as instruções do aplicativo do Google WIFI na opção “adicionar ponto WIFI”, seguindo o próprio tutorial do aparelho.

Instale todos os pontos.

Se for manter os roteadores conectados à Internet sem cabo, teste o sinal e deixe os equipamentos a uma distância que não tenha tanto prejuízo ao sinal (conforme teste realizado pelo aplicativo Google WIFI).

 

Passo 4: cabear demais pontos [opcional]

Existem duas maneiras (A e B) de fornecer Internet aos demais pontos do Google WIFI e isso talvez seja o ponto mais importante de sucesso.

(A) Eles podem ser pontos sem fio e, dessa forma, receber a Internet do ponto mais próximo para então propagar para os celulares e outros aparelhos conectados à rede WIFI.

(B) Eles podem ser pontos cabeados e, uma vez que conectam à Internet a partir de um cabo, propagar essa conexão para a WIFI.

A opção B é infinitamente melhor, pois o equipamento recebendo a Internet via cabo terá uma perda insignificante enquanto que a opção A pode perder até mais do que 60% da velocidade.

Entretanto, a opção B requer que você tenha o local cabeado (o que pode acarretar em uma trabalheira danada).

Importante: Para conectar o cabo aos demais roteadores Google WIFI é necessário que eles tenham sido conectados sem fio conforme instruído no Passo 3.

 

Passo 5: rede cabeada para fornecimento de Internet [opcional]

Uma rede cabeada é muito importante para fazer o sinal chegar 100% aos pontos de WIFI.

Recomendo utilizar cabo e conectores CAT6 ou CAT6A por serem infinitamente melhores que os antecessores e fundamentais para construir uma rede de alta performance (se for cabear a casa usando tubulação interna à parede, passe os cabos de rede separados da energia para evitar interferências).

Para começar, um cabo deve sair do ponto principal do Google WIFI para um switch (se quiser entender, leia abaixo a seção “Por que um switch?”).

O switch então leva os cabo para os demais pontos do Google WIFI ou até diretamente para equipamentos como um PS4, obtendo o máximo da velocidade do seu link de Internet.

É possível conectar outro switch a um dos pontos que sai desse primeiro switch: essa situação atende a limitações físicas, no caso, a tubulação apenas comportava um cabo ao andar superior do escritório, sendo assim novos pontos cabeados podem ser conectados a esse segundo switch.

 

 

Concluindo os 5 passos, temos algo como na ilustração superior.

Nota para gamers: se quiserem algo realmente excepcional, faça a instalação até esse passo.

 

Por que um switch?

A explicação é um tanto quanto técnica, mas bem completa. A escolha foi por um switch gigabit de metal não gerenciado e cada nome tem sua explicação. O switch diferente do hub não faz broadcast e, diferente de um roteador que trabalha na layer 3 de rede, o switch trabalha na layer 2, o que faz com que um equipamento a um preço modesto tenha uma performance incrível por tratar muito menos dados. E por isso é um switch não gerenciado, pois os gerenciados trabalham na layer 3. E um switch de metal pois consegue trabalhar por bastante tempo com pouco aquecimento (aquecimento é inimigo da performance). O equipamento que sugerido da D-Link é a escolha perfeita: altíssima performance, totalmente silencioso e não esquenta, mesmo após muitas horas de uso.

 

É isso!

Após fazer o que é recomendado aqui, será possível montar a sua rede WIFI na sua casa para nunca mais se preocupar com a Internet.

 

________________________________

E aí gostou da dica? Nós agradecemos ao nosso convidado, especialista na área, que contribuiu com esse guia prático para o Melhor Escolha.

Caso você não queria fazer este investimento, existem outras opções no mercado. Não tão boas, mas que podem quebrar o galho.

Por exemplo, se você tiver um plano de internet NET Virtua, você pode optar com contratar adicionalmente ao seu plano o NET Ponto Ultra.

O NET Ponto Ultra não é um replicador de sinal.

Um técnico da NET adicionará uma conexão via cabo na sua casa, desta forma você terá duas entradas de internet. Digamos que você mora em um sobrado, você pode ter uma entrada na parte térrea da casa e outra no primeiro andar.

Essa segunda entrada você pode usar para conectar seu computador ou TV diretamente no cabo, ou colocar um segundo modem.

O NET Ponto Ultra tem um custo de R$150,00 por ponto e é possível ter até 4 pontos ultras na sua casa.

Infelizmente o Ponto Ultra só está disponível nas cidades de: São Paulo, Barueri, Bertioga, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Carapicuíba, Cotia, Cubatão, Curitiba, Diadema, Embu das Artes, Guarulhos, Guarujá, Itapecerica da Serra, Mauá, Mogi das Cruzes, Osasco, Praia Grande, Poá, Rio de Janeiro, Santos, São Vicente, Santana de Parnaíba, Santo André, São Bernardo, São Caetano do Sul, Suzano, Taboão da Serra e Vargem Grande Paulista.

 

Esperamos ter ajudado você!

Conheça mais sobre planos, dicas e notícias de internet banda larga, visitando outros post em nosso blog!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *